Bons e auspiciosos resultados na Semana Regional sobre IPv6

28/03/2012

A semana Regional sobre IPv6 realizada de 6 a 12 de fevereiro na América do Sul, deixou um quadro animador sobre o uso do novo protocolo da Internet, segundo a primeira avaliação de Antonio Moreiras, gerente de Projetos de Nic.br, um dos principais organizadores do evento.

Com 101 instituições participantes, entre elas os maiores provedores de conteúdos brasileiros (Globo.com, IG, Terra, UOl) e também de acesso (Telefónica), e mais de 173 sites da Internet  funcionando de forma correta com IPv6, esta prova de seis dias permitiu aumentar o tráfego na região do novo protocolo da Internet além de servir como ferramenta de promoção do IPv6.

O fato de ter estendido essa experiência ao Campus Party, uma grande convenção de especialistas tecnológicos desenvolvida em São Paulo com mais de 7000 participantes, colaborou para o sucesso da IPv6 Week. Nesse encontro, cerca de 2.5% do tráfego total foi de IPv6 (picos de 200 Mbps IPv6 e picos de 8 Gbps IPv4).

Tráfego triplo. Moreira detalhou que durante a semana de provas o tráfego do IPv6 no Brasil foi triplicado, embora esclareceu que ainda representa uma fração muito pequena do tráfego total da Internet desse país. De qualquer forma, o gerente de Nic.br salientou que os aumentos do tráfego foram bem mais expressivos que no World IPv6 Day, “mostrando que o evento regional deixou bons resultados e conseguiu atrair importantes participantes locais”.

Além do Campus Party, a Semana Regional do IPv6 teve outros eventos de destaque como a Mendoza IPv6 Summer Day na Argentina  e os webinars do LACNIC.

Para Moreira, o futuro é auspicioso porque cada vez mais os provedores procuram capacitação, solicitam blocos IPv6, implementam a nova tecnologia e discutem alternativas para os problemas já existentes. “Em suma, (se está) trabalhando a um ritmo acelerado”, acrescentou.

Mencionou como exemplo o NIC.br, cujo cronograma de implementação do IPv6 implica que os provedores comecem a fazer ensaios e tenham os produtos de tráfego prontos para o mercado corporativo do IPv6 para meados desse ano. Esse cronograma significa que em janeiro de 2013, quando o IPv4 fizer 30 anos na rede, todos os sites do Brasil e outros serviços, como servidores de emails, vão estar preparados para usar IPv6.

Mesmo que o Nic.br e o LACNIC vêm trabalhando há muito tempo na conscientização e na formação de técnicos em IPv6, Moreira considera que esse trabalho deve ser aprofundado e ampliado. E pediu concentrar os novos esforços em uma abordagem de cima para baixo: “Temos que convencer os executivos das empresas que o tempo de fazer a implementação é agora”.

Suscríbete para recibir mensualmente las últimas novedades en tu mail Click here to subscribe and monthly receive the latest news in your inbox. Inscreva-se aqui para receber mensalmente as últimas novidades no seu e-mail