LACNIC

IPv6

Vencedores do Desafio IPv6: “Trabalhar duro para superar as dificuldades”

28/05/2020

O Desafio IPv6 do LACNIC serviu de trampolim perfeito para que a equipe de tecnologia do Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (IMPA) – composto por Felipe Correia e Rosa Ladeira – resolvesse, neste ano, implantar IPv6 nessa rede universitária do Rio de Janeiro, Brasil.

Após uma experiência sem concluir sobre o IPv6 em 2015, tinha ficado latente na equipe de TI a possibilidade de implantar esse protocolo na rede do IMPA, já que o instituto contava com endereços desde meados de 2013.

Rosa Ladeira, uma das responsáveis da equipe de tecnologia do IMPA, afirmou que o desafio lhes deixou a aprendizagem de que sempre se deve “trabalhar duro para superar as dificuldades e ter maturidade profissional para compreender os limites”.  Contou que a emergência sanitária, declarada no meio da concorrência, obrigou a reformular e intensificar os planos de trabalho, alcançando finalmente o objetivo com sucesso, o que lhes permitiu vencer a primeira edição 2020 do Desafio IPv6 do LACNIC.

O que os impulsionou a participarem do Desafio IPv6 do LACNIC?

Em meados de 2013, o IMPA recebeu endereço IPv6/44, de acordo com projeto de implantação aprovado pelo NIC.br.

Em 2015, com apenas um funcionário na área de redes, houve uma iniciativa mal sucedida de implantação do IPv6.

Contando com equipe de TI bastante compacta envolvida na oferta de serviços consistentes e compatíveis com as demandas por inovação exigidas pelas várias classes de usuários do IMPA, ainda não tinha sido possível atuar continuamente no estabelecimento do IPv6.

O desafio do LACNIC 2020 se apresentou como portal para novo empreendimento, contando com a experiência adquirida na ação anterior.

Quais aprendizados você destacaria do processo de participação neste desafio? Vocês acham que o surgimento da Covid-19 interferiu no desenvolvimento do seu projeto?

Tivemos conhecimento do desafio, já nos últimos dias de inscrição. Contando com equipe bastante reduzida e apenas 36 dias úteis para executar o trabalho, até a entrega do segundo relatório, fizemos um projeto com curtas ambições.

Quando fomos surpreendidos pela emergência sanitária causada pela pandemia, ficou claro que o período de 36 dias úteis, a partir de 15 de janeiro, reduziu-se a 12 dias úteis apenas, abreviando fortemente a possibilidade de alcançar as metas inicialmente propostas.

Somou-se a esse encurtamento a necessidade de dedicação intensiva às necessidades de ajustarmos o ambiente do IMPA para o ambiente “home office” imposto pelo recesso.

Diante dessas circunstâncias, o desafio nos apontou as seguintes questões: ganhamos a capacidade de análise e reformulação de metas; reforçamos o entendimento que o paradigma IPv6 nos impôs a reconstruir os fundamentos aplicados ao IPv4; entendemos que naquele momento tínhamos exaurido a possibilidade de executar testes que, de alguma forma pudessem desestabilizar o ambiente de produção, devido à atuação remota; redesenhando o cronograma, resolvemos imprimir característica teórica ao plano, possibilitando investir em roteiro sólido para evoluir o projeto, findo o estado de emergência; y finalmente investimos fortemente em capacitação em IPv6.

Por qual iniciativa vocês foram premiados? Como estava composta a equipe de trabalho? Quais os resultados alcançados durante todo este processo?

Enumeraria as iniciativas de: não desistir; trabalhar com empenho superando as dificuldades e a maturidade profissional de entender limites e investir em ações possíveis; acima de tudo, construir o arcabouço para dar continuidade à implantação do protocolo IPv6 no IMPA.

A equipe se compôs de 2 integrantes somente, o que me faz acreditar na valoração do alcançado. Resultados: conseguir desenhar a arquitetura de endereçamento da rede em conformidade com o paradigma IPv6; avançar com a implantação do IPv6 na borda (agradecendo sempre a cooperação da RNP e da Redecomep); e, através da capacitação, traçar a abordagem para dar continuidade ao projeto de implantação do IPv6 no IMPA, em retornando às condições de trabalho.

O que recomendariam às organizações que querem implementar IPv6 em suas redes?

Capacitação intensificada, desenhar detalhadamente as fases do projeto e as atividades de cada um, implantar IPv6 a partir da borda em direção à infraestrutura interna; testar exaustivamente.