LACNIC

IPv6

LACNIC e CAF fomentam o desenvolvimento da IoT na região

31/03/2016

CAF –Banco de Desenvolvimento da América Latina- e LACNIC apresentaram um estudo que visa contribuir para a promoção, expansão e adoção da versão 6 do protocolo de endereços da Internet (IPv6). Desta forma, poderia ser atendido o aumento da demanda resultante do crescimento do uso da Internet e do sucesso dos dispositivos eletrônicos.

O relatório, chamado “Implementação do IPv6 para o desenvolvimento socioeconômico da América Latina e o Caribe”, salienta em suas conclusões a importância da migração para o novo formato IPv6 porque o IPv4 está se esgotando, limitando as chances de desenvolver a Internet das Coisas (IoT) com sucesso.

A IoT tem a ver com a interconexão digital de objetos do dia a dia na rede. Para poder conectar cada objeto é preciso um endereço IP, e a versão IPv6 tem uma margem significativamente maior do que o seu antecessor, o IPv4, pelo que permitiria melhorar a qualidade das conexões.

“Este estudo faz parte do programa de TIC de CAF, criado para que o setor das tecnologias da informação e comunicação na região possa ter todos os elementos necessários para se desenvolver”, disse Gladis Genua, diretora representante de CAF no Uruguai.

Neste sentido, ressaltou que a instituição apoia os países em diferentes aspectos, tais como a construção da infraestrutura necessária para que a indústria possa se expandir, a elaboração do quadro regulamentar e a definição de políticas públicas. Também apoia a geração de conhecimento baseado em experiências  bem-sucedidas e capazes de ser replicadas.

“É um setor que é prioritário para nossa estratégia. Acreditamos que gerar uma economia do conhecimento com bases tecnológicas e científicas pode fazer a diferença na criação de capacidades de desenvolvimento nos países da região, assim como outros que já percorreram esse caminho fizeram, obtendo resultados favoráveis a nível econômico e social “, afirmou Genua.

Para realizar a pesquisa, a CAF investiu US$ 158.000, que foram destinados a cobrir as despesas de translado, logística, comunicação e contratação de recursos externos de apoio.

Por sua vez, os integrantes da equipe de pesquisa e da área técnica de LACNIC coordenaram e executaram o projeto.

Durante a apresentação, Oscar Robles, CEO de LACNIC, ressaltou a importância do relatório. “Este estudo apoia a expansão de forma mais eficaz em um momento em que são requeridos avanços significativos. O IPv6 é necessário para o crescimento da Internet, do contrário vamos ficar em um impasse e não vai ser mais possível a chamada “Internet das Coisas”, disse.

Por sua parte, Omar de León, pesquisador externo encarregado do projeto, observou que 50% do conteúdo da Internet do mundo todo está disponível no IPv6.

O trabalho aponta que apenas quatro dos dez países estudados tinham tráfego superior a 1% usando o novo protocolo, o que reflete o atraso significativo que tem a região nessa matéria.

Relatório completo em http://scioteca.caf.com/handle/123456789/837