LACNIC

Investigação

Recorde de candidaturas para receber fundos de FRIDA

30/05/2016

Número recorde de candidaturas foram apresentadas à chamada 2016 do Fundo Regional para a Inovação Digital na América Latina e o Caribe (FRIDA): um total de 551 propostas de 23 países da América Latina e o Caribe aspiram obter financiamento para seus projetos nas categorias prêmios, subsídios e escalamentos.

O volume e riqueza das candidaturas recebidas -127 projetos em Prêmios, 335 iniciativas em Subsídios e 89 propostas em Escalamentos- pressagia um trabalho exaustivo do Comitê de Seleção, que escolherá os vencedores deste ano para entregar fundos por US$ 235.000 entre os três tipos de apoio. Os resultados dos projetos vencedores serão anunciados no dia 15 de junho.

A maioria dos projetos vem da sociedade civil (309), depois tem 105 do setor privado, 72 da academia, 55 de governos e os restantes 11 não especificam sua origem.

Há propostas de 23 países da região: Colômbia, Argentina, México, Panamá, El Salvador, Guatemala, Peru, Venezuela, Commonwealth of Dominica, Cuba, Equador, Honduras, Nicarágua, Costa Rica, Uruguai, Paraguai, Haiti, St Lucia, Trinidad e Tobago, Jamaica, Belize, Bolívia e Brasil.

Carolina Caeiro, responsável de FRIDA, salientou que o grande número de candidatos constitui um enorme desafio para LACNIC. “Estamos orgulhosos da confiança que a região tem em nós para fomentar o desenvolvimento da Internet na região na procura de dar resposta aos desafios sociais e econômicos da população da América Latina e o Caribe”, afirmou Caeiro.

A categoria Internet e tecnologias para o desenvolvimento social e econômico encabeçou a lista com o maior número de candidaturas, depois ficou a Internet e tecnologias para a inclusão social, fortalecimento democrático e exercício dos direitos e liberdades. Entretanto, 65 projetos foram apresentados em inovação técnica para o acesso e desenvolvimento da Internet (incluindo subsídios sobre Segurança e IPv6).

Caeiro apontou que neste ano, FRIDA através dos subsídios, oferece financiamento para projetos técnicos que abordem as principais questões de desenvolvimento na região como o IPv6 e a cibersegurança.

“Há financiamento para projetos técnicos. A comunidade deve aproveitar esta oportunidade”, concluiu o responsável de FRIDA