• Newsletter

  • Boletim informativo de LACNIC para a comunidade da Internet

Investigação

Feed
Cambiar tamaño de fuente:

28/08/2019

O Novo coletor BGP na região do LACNIC

O LACNIC começou a colaborar com o serviço de informação de RIPE (RIPE RIS) sobre o estado das rotas BGP globais da Internet.

Foi adicionado um nodo coletor de dados de RIPE RIS localizado em Montevideu, o RRC24, agregado ao coletor existente em São Paulo, sendo estes os únicos dois na América Latina.  Queremos que as organizações de Internet na região contribuam com dados e informação sobre o que está acontecendo a nível regional com as tabelas de roteamento, para que possamos ter um panorama global da situação.

Guillermo Cicileo, líder de Pesquisa e Desenvolvimento em Infraestrutura de Internet do LACNIC, convidou os operadores da região para estabelecerem sessões de peering com o novo nodo de Montevideu, com o intuito de que eles possam colaborar com este projeto.

 “Convidamos os operadores a estabelecerem sessões BGP multihop com o coletor de Montevideu, e a enviarem suas tabelas de BGP. Esta configuração não afeta o roteamento da organização, já que se trata simplesmente de exportar as tabelas de roteamento para um servidor que processa dados, mas que não interfere no processo de roteamento”, afirmou Cicileo.

Atualmente o serviço de RIPE RIS cobre majoritariamente a Europa e os Estados Unidos, portanto o aporte dos coletores de Montevideu e de São Paulo – juntamente com a informação da América Latina e do caribe – permitirá ter uma ideia mais global sobre routing em BGP.

 “ É importante ter informação dos diferentes pontos da rede, pois a tabela BGP global não é exatamente a mesma, quando vista de outros lados”, indicou Cicileo.

A informação dada pelos coletores do LACNIC será pública e muito útil para conhecer o estado do roteamento da região e contribuirá para a estabilidade do sistema de roteamento global, acrescentou o especialista. Além do mais, permitirá fazer uma análise do que está acontecendo na nossa região, podendo utilizar uma grande quantidade de ferramentas disponíveis no projeto RIPE RIS.

Desta forma será possível perceber, entre outros detalhes, se os prefixos anunciados por um operador estão funcionando corretamente. Além disso o serviço RIPE RIS é uma das referências na hora de analisar um incidente ocorrido ou detalhes que afetaram as tabelas de roteamento globais. Inclusive para ver o “raio de cobertura” dos anúncios de uma organização, ao ter visibilidade de cada um dos coletores distribuídos no mundo.

 “É um serviço muito usado para detectar sequestros ou leaks de rotas, já que conta com um monitoramento histórico das publicações por BGP”, comentou Cicileo. “Esperamos que ao integrarmos os dados de rotas BGP da região, possamos obter mais informação sobre o que está acontecendo na Internet de nossos países”, concluiu.

Para conhecer a política de peering e saber levantar uma sessão BGP com este coletor, acesse este link.

Por consultas: tecnologia@lacnic.net