Institucional

Programa Líderes do LACNIC selecionou 16 trabalhos sobre a Governança da Internet

30/11/2020

O programa Líderes 2.0 do LACNIC anunciou a seleção dos 16 projetos vencedores da chamada para iniciativas de pesquisa sobre questões de Governança da Internet na região relacionados à Internet e a pandemia: o impacto sobre os direitos humanos; inclusão digital; e segurança e confiança.

Os selecionados foram escolhidos entre 45 propostas enriquecedoras da comunidade da América Latina e o Caribe toda apresentadas na convocatória do programa. Espera-se que a contribuição dos trabalhos finais dos 16 participantes selecionados contribua com aspectos novos da Governança da Internet na região.

Na seleção, a prioridade foi dada à diversidade geográfica e às abordagens dos trabalhos, salientou Kevon Swift, líder de relações estratégicas do LACNIC.

Os 16 projetos selecionados são:

Os IXP como instrumento de expansão da inclusão digital, de Héctor Huici da Argentina;

Vigiados na escola? Impacto na privacidade do uso de tecnologias de e-proctoring na região da América Latina, de Carlos Guerrero do Peru;

Conectamos? Inclusão digital para além da conexão, de Luíza Couto Chaves Brandão do Brasil;

Códigos de Convívio Digital: bons hábitos de segurança cibernética para crianças em idade escolar, de Noralí Duin Picón do Panamá;

Alfabetização digital para a inclusão e participação ativa de jovens, de Kindy Vereus Montreuil do Haiti;

Desafios e estratégias de acesso às tecnologias da informação e comunicação, plataformas e Internet por mulheres com mais de 40 anos em Aguascalientes durante a pandemia para realizar trabalho à distância, de Angélica Contreras do México;

Percepção da conectividade à Internet na América Central com relação à distância dos centros urbanos, de Sascha Ram do Panamá;

Como foi informada a exclusão digital no Panamá durante a pandemia?, de Raisa Urribarri do Panamá;

Glocal mesh networks LATAM – ampliando comunidades na governança da Internet, de Soledad Magnone do Uruguai;

Estratégias preventivas para a violência digital contra as mulheres, de Jerónimo Linan da Argentina;

Políticas de saúde digital na ALC: onde estamos e o que os governos podem fazer, de Mark Datysgeld do Brasil;

– A Internet na perspectiva dos moradores rurais do Assentamento Tiradentes na cidade de Mari-PB: O uso da Rede frente aos desafios locais, do brasileiro Lucas Samuel da Silva, Brasil;

Mapeamento de casos de cyberbullying e seus efeitos sobre as vítimas no Haiti, de Obed Sindy do Haiti;

– A barreira do backhaul; o maior obstáculo para uma internet equitativa”, de Edwin Reed-Sanchez da Nicarágua;

Situação atual da criptografia de dados na Nicarágua, de Oscar Danilo González Navarrete, Nicarágua; e

 – Lições aprendidas para a continuidade da educação durante a pandemia COVID-19, de Hector Maida de El Salvador.

 Mentores e publicação. Além dos recursos financeiros para a realização de suas pesquisas durante três meses, cada um dos participantes receberá o apoio de Raquel Gatto, Nigel Cassimire, Miguel Ignacio Estrada, Kevon Swift e Paula Oteguy, que atuarão como mentores dos participantes de Líderes 2.0.

O cronograma prevê para o dia 17 de fevereiro a entrega final das pesquisas para posteriormente publicá-las no espaço do Programa Líderes do portal do LACNIC.

Lideres 2.0 agradece especialmente a todos os candidatos pelo interesse neste programa e espera poder considerar aqueles que não foram selecionados em uma segunda edição prevista para o próximo ano.