O IRR do LACNIC está comemorando seu primeiro ano

30/06/2021

O Registro de Roteamento de Internet (Internet Routing Registry) do LACNIC – impulsionado para as operadoras da região expressarem e compartilharem sua política de roteamento em um banco dados – completou um ano funcionando com sucesso, assegurou o gerente de tecnologias do LACNIC, Carlos Martínez.

Este serviço do LACNIC permitiu às operadoras da região configurarem filtros, routers, listas de acesso e listas de prefixos de forma automática, ajudando dessa forma a melhorar a segurança e a estabilidade da Internet, bem como evitando problemas na publicação global de rotas.

Martínez destacou a quantidade de organizações da região que utilizam o IRR do LACNIC e o número de route-objects tanto em IPv4 quanto em IPv6 e ASN disponíveis na base de dados. “Do nosso ponto de vista foi um ano de sucesso, no sentido de que tivemos uma tendência em alta de objetos no IRR. Recebemos várias consultas e alguns pedidos da nossa comunidade, isso nos mostra que há interesse”.

Convém lembrar que os IRR estruturam a informação contida nos denominados “objetos”. Existem objetos para representar rotas tanto em IPv4 quanto em IPv6, objetos para representar sistemas autônomos e objetos conhecidos como “as-set” que representam agrupações de sistemas autônomos. Os as-set são fundamentais para que as operadoras regionais e globais, que fornecem serviço a centenas de outros sistemas autônomos, possam representar suas políticas de roteamento de forma escalonada e concisa.

Multiplicou-se por quatro. O número de objetos no IRR do LACNIC multiplicou-se por quatro durante o período de um ano. Passou de um pouco mais de 2500 objetos a quase 10 mil. A pesar que em quantidade de objetos, por enquanto, o registro do LACNIC é menor em relação a outros que existem no mundo, são considerados outros fatores para destacar a sua importância. “Por um lado, um IRR é um serviço que requer de um longo tempo para ser adotado pela comunidade, e em segundo lugar, diferente de outros IRRs históricos, o do LACNIC possui apenas objetos respaldados por sua base de dados de registro e pela informação gerada pelos usuários em RPKI, portanto são objetos vigentes e atuais”, afirmou Martínez. Atualmente o IRR possui 4.900 route4, uns 1.000 route6 e aproximadamente 350 as-set.

O processo de adoção do IRR pela comunidade está composto por dois elementos que avançam em paralelo, porém em tempos diferentes. De um lado a comunidade “imediata” – todos aqueles que contam com recursos numéricos designados pelo LACNIC – deve criar seus objetos. Por outro lado, a comunidade global de operadoras, primeiro deve cientificar-se e depois confiar que existe um IRR operado pelo LACNIC, contendo informação confiável e valiosa. O termo utilizado -conforme foi informado pelo CTO do LACNIC- é que as operadoras devem começar a “aceitar o source: LACNIC” em seus filtros.

Para facilitar essa adoção de um novo “source” é importante que os principais IRRs já existentes repliquem a informação de uma nova fonte de informação. Os IRRs nascentes devem conseguir que a sua informação seja replicada pelos hubs do IRR. Quando isso acontece, a curva de adoção do novo IRR se acelera a grande escala.

Benefícios. Um dos grandes desafios na operação de redes na Internet hoje é comunicar de forma apropriada a política de roteamento de cada sistema autônomo, para que o restante da Internet possa distinguir os anúncios legítimos dos anúncios potencialmente errados. “O IRR, bem como nossos esforços do RPKI estão orientados para fornecer ferramentas às operadoras de nossa região, a fim de que possam expressar suas políticas de roteamento”, finalizou Martínez.