LACNIC

Institucional

A Internet tornou-se indispensável perante a crise sanitária.

31/03/2020

A Internet tornou-se uma ferramenta fundamental perante a crise sanitária causada pelo coronavírus.

A quarentena na região e a suspensão das aulas, fez com que o uso da conexão residencial aumentasse, bem como o teletrabalho e o comércio eletrônico.

Carlos Martínez, CTO do LACNIC, frisou o papel da Internet neste momento de emergência sanitária como o de ferramenta de “aproximação social virtual” perante o isolamento físico imposto pelas autoridades para evitar o contágio do vírus.

De que forma a Internet pode ajudar neste tipo de crise sanitária?

De várias maneiras. Creio que neste momento a Internet é fundamental para poder sustentar o isolamento social necessário para controlar a propagação do vírus.

O teletrabalho vai ser a chave para sustentar a atividade econômica, da mesma forma que o comércio eletrônico e que todos os serviços financeiros online. Sem estas ferramentas, qualquer restrição de sair às ruas seria muito difícil de implementar.

As plataformas de e-learning vão permitir que as crianças e os estudantes não percam tanto tempo de aula, como também as plataformas de streaming e as redes sociais vão fazer com que possamos passar o tempo da melhor maneira possível.

Finalmente não devemos nos esquecer das diversas ferramentas de comunicação, como videoconferências, ligações, mensagens, etc., que nos permitirão estarmos próximos de nossos seres queridos, a pesar da distância.

A conexão da região é boa para ajudar nestas situações?

A conexão dos diferentes provedores da região melhorou muito nos últimos anos, particularmente a nível de backbones e de transição.

No entanto, no que refere a acesso certamente poderão ocorrer situações díspares. Aquelas operadoras que implementaram redes de fibra em residências com certeza conseguirão enfrentar, sem maiores problemas, a demanda que aumentou. As redes de acesso por DSL talvez sofram mais um pouco, da mesma forma que as redes móveis.

É muito positiva a ampla implementação das redes móveis LTE na região, já que a telefonia celular vai permitir a cobertura de uma parte desta demanda que aumentou.

Houve aumento do tráfego durante a quarentena nos países da região?

Há relatórios disponíveis na Internet procedentes de diferentes operadoras e de alguns pontos de intercâmbio de tráfego. Todos fazem referência ao aumento de tráfego dentre 25% e 35%.

Foi possível manter uma boa conexão a pesar da demanda ter sido maior nestes dias?

Creio que até este momento a experiência continua sendo muito boa. Talvez tenham existido pequenos empecilhos aqui ou ali, porém na maioria dos casos, a Internet na nossa região vem lidando muito bem com esta conjuntura tão fora do comum.

O fato de haver maior volume de tráfego aumenta a vulnerabilidade? Deveríamos ser mais precavidos?

Há uma grande incógnita, pensando no futuro, referente à manutenção das redes e dos sistemas em geral. Toda implementação de rede requer manutenção.  Os cabos deterioram-se com o tempo e os portos de redes e line cards ficam velhos e precisam ser trocados.

Em um cenário de importantes restrições de movimentos e de transporte de bens, o próprio envelhecimento dos equipamentos pode ser um fator que conspire contra o bom funcionamento da Internet na região.

Temos que lembrar que muito pouco do equipamento utilizado pelas operadoras é fabricado na mesma região à qual elas pertencem, a maior parte provém de outros lugares.