Proposta final da transição da custódia da IANA

31/03/2016

Depois de quase dois anos de trabalho e com valiosas contribuições das três comunidades operativas da Internet, a Corporação para a Designação de Nomes e Números da Internet (IANA) apresentou ao governo dos Estados Unidos uma proposta para que seja a comunidade global quem tome conta da custódia das funções da IANA.

A proposta, acordada finalmente em Marrakech durante a ICANN55,  elimina a custódia por parte do Governo dos Estados Unidos de um conjunto de funções administrativas fundamentais da Internet —entre elas a gestão da reserva mundial de recursos de numeração da Internet (endereços IPv4 e IPv6 e Números de Sistemas Autônomos)— e as substitui de mecanismos para uma custódia baseada na comunidade.

A nova estrutura, desenvolvida pelo Grupo de Coordenação da Transição da Custódia da IANA (ICG), está baseada na contribuição realizada durante quase dois anos pelas três comunidades operativas, entre elas a comunidade dos recursos de numeração da Internet (com grande interesse na gestão global dos recursos de numeração da Internet).

As contribuições da comunidade dos recursos de numeração  foram coordenadas em um grupo chamado CRISP (Consolidated RIR IANA Stewardship Proposal Team) formado por membros procedentes de cada uma das regiões dos cinco Registros Regionais da Internet (LACNIC, ARIN, AFRINIC, APNIC, RIPE).

As negociações permitiram elaborar uma proposta final para substituir a custódia das funções da IANA por uma direção de participação múltipla da comunidade (modelo de múltiplas partes interessadas) e não governamental, com uma administração independente e transparente.

A proposta inclui mecanismos para a custódia das funções da IANA relacionadas com os recursos de numeração da Internet, tal como foram desenvolvidos pela comunidade dos recursos de numeração.

Esses mecanismos incluem um Acordo de Nível de Serviço assinado pelos RIR (como custódios destas funções) e a ICANN (como organização responsável de gerenciar as funções).

O plano foi enviado ao Governo dos EUA para sua revisão, e assumindo que atenda aos critérios necessários, vai ser um momento histórico da governança da Internet.

Izumi Okutani, chair do CRISP, salientou especialmente que as discussões  ao longo destes dois últimos anos “têm destacado o tipo de processos de baixo para cima e impulsionados pela comunidade que são uma característica central da comunidade de recursos de numeração da Internet. Esta abordagem foi fundamental para fazer da Internet um recurso verdadeiramente global”.

Enquanto isso, Oscar Robles, presidente da Organização de Recursos de Numeração (NRO) e CEO de LACNIC, disse que, embora não tenha chegado ao final do processo -falta a decisão do governo dos EUA- “neste momento, reconhecemos a realização que esta proposta representa: uma enorme comunidade global de pessoas de diferentes setores e grupos de interesse chegou a um acordo sobre um plano complexo para alcançar algo de enorme importância”.

E acrescentou que o trabalho desses 24 meses “é algo que deve fazer-nos sentir orgulho como comunidade, uma testemunha da eficácia do modelo de múltiplas partes interessadas”.

Suscríbete para recibir mensualmente las últimas novedades en tu mail Click here to subscribe and monthly receive the latest news in your inbox. Inscreva-se aqui para receber mensalmente as últimas novidades no seu e-mail