O papel de LACNIC na transição da Custódia das Funções da IANA

02/03/2015

Por Andrés Piazza

Um dos grandes acontecimentos de 2014 foi o anúncio realizado em março pelo governo dos Estados Unidos de levar adiante uma transição para transferir à comunidade global da Internet o seu papel de Custódia sobre as Funções da IANA. Esse anúncio foi realizado simultaneamente com a declaração das organizações da comunidade técnica da Internet (grupo chamado I*, entre as que se encontra LACNIC) sobre essa questão.

Embora se deva reconhecer que a transição anunciada pode ser tomada como uma consequência lógica da evolução institucional que levou à criação da ICANN na década de 90, também há motivos para pensar que essa decisão está relacionada com os conhecidos fenômenos de 2013, entre os que podemos salientar a descoberta dos episódios massivos de vigilância eletrônica (trazido à luz por Snowden), a Declaração de Montevidéu das organizações da comunidade técnica da Internet – I* (somado às duas declarações antecessoras realizadas pelos Registros Regionais da Internet) e já no início de 2014, a iminente organização do evento NetMundial.

Como consequência do anúncio, a comunidade da Internet começou um processo de intensas discussões dentro das três áreas específicas relacionadas às funções da IANA: Números (endereços da Internet), Nomes de Domínio, e Parâmetros e Protocolos.

No que diz respeito ao LACNIC em particular, nossa organização tomou parte ativa na discussão da Comunidade de Números a Nível Global, bem como em um processo de consulta a sua própria comunidade.

Dentro do processo da Comunidade Regional podem ser salientadas algumas instâncias: painel durante LACNIC 21 em Cancun, criação da lista de discussão sobre Governança da Internet, publicação da lista de Recursos de Informações, nomeação de Representantes da Comunidade para dirigir a consulta, painel durante LACNIC 22 em Santiago de Chile, resultado da consulta para a Comunidade e nomeação de representantes da equipe CRISP para o processo global.

Desde os primeiros dias de dezembro de 2014 até os primeiros dias de janeiro de 2015, o grupo CRISP realizou um processo de discussão aberto consolidando as ideias e atingindo o objetivo de entregar uma proposta consolidada das 5 comunidades regionais de números para o Internet Coordiation Group  (um grupo que recebe aportes das 3 comunidades), além de definir um processo global que irá continuar o seu curso até outubro.

SINGAPURA NO CAMINHO. A proposta final elaborada pela equipe CRISP foi entregue ao ICG dentro do prazo estabelecido (15 de janeiro): http://www.nro.net/crisp-final-proposal Um aspecto notável desse relatório tem a ver com o consenso que houve entre as comunidades dos cinco Registros Regionais da Internet, sem haver qualquer objeção.

Durante a reunião de ICANN52 em Singapura, realizada em fevereiro deste ano, o ICG (Internet Coordiation Group) analisou a proposta CRISP e entrevistou a Izumi Okutani, chair do mencionado grupo.

No fórum público da ICANN celebrado ao finalizar a reunião número 52, o presidente da diretoria, Steve Crocker manifestou que “nas propostas do IETF e do CRISP não há nada tão importante que seja digno de preocupação”.

Durante todo o ano de 2015 e tendo em vista a data definida pelo NTIA (30 de setembro) a comunidade da Internet vai continuar trabalhando nos diferentes elementos que forem necessários para atingir a transição definitiva. Isto vai implicar, entre outras coisas, instâncias de informação e consulta com nossas comunidades durante os eventos (LACNIC 22 e 23) bem como entre eles.

Para mais informações, consulte a secção “transição” no site de LACNIC http://www.lacnic.net/web/transicion/inicio

Suscríbete para recibir mensualmente las últimas novedades en tu mail Click here to subscribe and monthly receive the latest news in your inbox. Inscreva-se aqui para receber mensalmente as últimas novidades no seu e-mail