• Newsletter

  • Boletim informativo de LACNIC para a comunidade da Internet

Gobernança da Internet

Feed
Cambiar tamaño de fuente:

30/11/2017

Conferência Mundial do Desenvolvimento das Telecomunicações promove o IPv6

A última Conferência Mundial do Desenvolvimento das Telecomunicações realizada na Argentina resolveu, entre outras questões, promover a troca de experiências e informações relacionadas à adoção do IPv6 nos países em desenvolvimento. Também foi recomendado trabalhar em coordenação com os Registros Regionais da Internet (RIR) para gerar capacidades no IPv6.

A proposta baseia-se no fato de que o protocolo IPv6 é condição necessária para o desenvolvimento da Internet das coisas (IoT) e a promoção das melhores práticas para a implementação do IPv6. Estas informações foram compiladas na Resolução 63 da Conferência organizada pela União Internacional das Telecomunicações (ITU).

Os países membros da UIT entendem que o IPv6 deve ser promovido para que a transição a partir do IPv4 seja realizada o mais rápido possível e para facilitar a implementação de endereços IPv6 em todos os países, principalmente nos países em desenvolvimento que estão enfrentando dificuldades no processo de transição por razões técnicas.

A este respeito, a Conferência encarregou ao Diretor do Departamento de Desenvolvimento das Telecomunicações a sua cooperação com as organizações internacionais e regionais “em particular com os Registros Regionais da Internet (RIR), no da formação e ampliação de conhecimentos técnicos em matéria do IPv6, afim de atender às necessidades dos países em desenvolvimento”, de acordo com a resolução final.

César Díaz, líder de Relações Estratégicas e das Telecomunicações de LACNIC, considerou positiva a resolução da UIT para a região e para a promoção do IPv6. “Nós já trabalhamos de forma coordenada na promoção do IPv6 com a UIT e especialmente com alguns estados membros da região. Esta resolução ajuda a fortalecer a cooperação de LACNIC como parte dos RIR e a gerar maiores capacidades em questões do IPv6 “, acrescentou Díaz.

Díaz acredita que novas oportunidades para o IPv6 surgirão na região, uma vez que a interação entre o governo e outras organizações é promovida afim de trocar conhecimentos e boas práticas nas redes do IPv6.