LACNIC

Eventos

Fórum Técnico do LACNIC: dez especialistas, 200 minutos e muita interação

07/05/2020

O Fórum Técnico do LACNIC (FTL) reuniu durante toda a jornada da quarta-feira a dez qualificados palestrantes de diferentes partes da região e do mundo perante um auditório online que alcançou os 250 participantes ao longo do dia.

As apresentações incluíram tópicos como; operação de redes, transição, implementação, medições de RPKI, DNSSEC, Interconexão, Internet das Coisas (loT) e vulnerabilidades de segurança, entre outros assuntos.

Durante mais de 200 minutos divididos em quatro sessões, dez palestrantes (Javier More, Massimo Candela, Agustín Formoso, Karen O’Donoghue, Richard Hummel, Claudio Risso, Tim Bruijnzeels, Hugo Salgado, Carlos Martínez y José Camargo) dissertaram para a comunidade técnica com transcrição simultânea em três idiomas (inglês, espanhol y português).

 “O FTL é uma iniciativa do LACNIC que trata de fomentar um espaço de intercâmbio entre nossa região com outras comunidades e com experiências de outras regiões, o objetivo é ter informação sobre as necessidades de operação em nosso âmbito de responsabilidade”, comentou Carlos Martínez, CTO do LACNIC durante a avaliação do evento.

O nível de apresentações foi melhorando a cada ano e isso faz com que o trabalho do Comitê do Programa seja cada vez mais desafiante.

Martínez anunciou que o FTI 2021 acontecerá em maio do ano que vem, mantendo os eixos temáticos atuais, e instou à comunidade técnica a enviar suas consultas e assim avançar nas possíveis áreas de trabalho.

Ida e volta. Na primeira apresentação do FTL, Javier More expôs sobre a experiência no Peru das “Redes de transporte de fibra ótica e micro-ondas e espetro radioelétrico para a implementação de redes %G”. Detalhou que pela geografia peruana a maior concentração de fibra encontra-se na região litorânea, por outro lado, grande parte da floresta desse país têm muitas dificuldades para obter conexões de boa qualidade.

Logo após, Massimo Candela apresentou sua pesquisa sobre monitoramento BGPs que permite monitorar todos os anúncios que estão sendo apresentados, inclusive aqueles que não têm cobertura dos ROAs.

Por sua vez, Agustín Formoso compartilhou o projeto “De-bogonizando 2a10::/12”, um trabalho sobre como reage a Internet quando se aloca um novo bloco a um RIR.

A pesquisadora Karen O’Donoghue apresentou “O caminho até a implementação: segurança do protocolo NTP”, no qual concluiu que deve ser desenvolvido um modelo de implementação de protótipos para melhorar a arquitetura da Internet.

Richard Hummel compartilhou com a audiência a pesquisa da NETSCOUT sobre o panorama das ameaças cibernéticas. Na Internet são produzidos cerca de 23 mil ataques por dia. “Se multiplicarmos isso por dólares, o resultado será muito dinheiro”, afirmou o especialista durante a sua apresentação. “Quanto estamos perdendo por não prevenir ou mitigar esses ataques? Quanto custa cada um desses ataques? Acrescentou Hummel.

Claudio Risso apresentou o trabalho “desenho de topologias iBGP/MPLS ótimas para a Rede Internacional da ANTEL”, enquanto que Tim Bruijnzeels compartilhou o projeto “Tendências na implementação do RPKI”, com dados relevantes sobre o desenvolvimento de padrões de segurança e de certificação de recursos.

No final da tarde, Hugo Salgado e Carlos Martínez apresentaram o trabalho sobre “SGA-1 e a rotação do algoritmo DNSSEC”; enquanto José Camargo dissertou sobre uma “Solução alternativa low cost para controle de ataques volumétricos na América Latina”.

Assista a todas as apresentações do FTL aqui.