LACNIC

Casa de Internet

Impacto da banda larga na atividade inovadora na América Latina

30/03/2015

Por Juan Jung*

Um dos elementos mais notórios do desempenho empresarial é  a capacidade das empresas de inovar, isto é, gerar novos produtos ou processos, que no final irão se transformar em melhoras na produtividade. No entanto, na América Latina, os indicadores de inovação estão muito aquém se comparados com outras regiões. Os empreendedores latino-americanos são menos propensos que os empreendedores de outras regiões em introduzir novos produtos ou processos, investirem em pesquisa e desenvolvimento (I+D) e em patentear. Por isso, é muito importante explorar os canais através dos que se pode contribuir para o aumento dos níveis de atividade inovadora na região. E um dos elementos chave para potencializar a capacidade inovadora na América Latina é a implementação de redes de banda larga, além de sua adoção e uso intensivo por parte das empresas.

O recente artigo intitulado “Impacto da banda larga na atividade inovadora: evidência desde a América Latina”, publicado pelo Caderno de Economia da Universidade Católica do Uruguai, avança no estúdio do impacto da conectividade e do uso da Internet no desempenho empresarial na região. Para isso aproveita a disponibilidade de um banco de dados sobre pesquisas a empresas que abrange 13 países da América Latina e uma diversidade de aspectos relacionados com a atividade inovadora e com a disponibilidade e uso das tecnologias da informação e comunicação. A partir desses dados se esperam, para diversas medidas de atividade inovadora, modelos econométricos que permitam decifrar a relação entre inovação e internet.

Os resultados apontam que o fato de acessar a uma conexão de banda larga e usá-la para realizar compras on-line, entrega de serviços e levar adiante atividade de pesquisa gera para as empresas da região aumentos substanciais na probabilidade de introduzir novos processos, novos produtos, e patentear internacionalmente. Em resumo, a adoção e ao mesmo tempo o uso intensivo de banda larga nas empresas da região aumentaria, em média, as probabilidades de inovar em processos em 12%, de inovar em produtos em 45% e de patentear a nível internacional em 29%.

Esses resultados reafirmam a importância de criar condições que facilitem a implementação de banda larga na região e a necessidade de promover políticas ativas que promovam o uso intensivo das mesmas. Em particular, a mostra analisada sugere que os níveis de conectividade e de uso intensivo da banda larga são menores nas pequenas empresas da região. Isso sugere que o desenho de estímulos para a inovação poderia estar focado nas pequenas empresas, e esses mesmos estímulos deveriam observar a importância de uma maior conectividade e um uso mais intensivo da mesma. Uma abordagem abrangente das políticas  transversais pode estabelecer e reforçar o impacto positivo da Internet, por exemplo através de programas de apoio a microempreendedores, para fechar o fosso de adoção à conectividade e para fazer um uso profundo das novas tecnologias.

O artigo pode ser acessado através do seguinte link (página 65):

http://www.ucu.edu.uy/sites/default/files/cuaderno-de-economia-23-12-2014.pdf

* Coordenador de Estudos e Regulamentação da Associação Ibero-americana de Centros de Pesquisa e Empresas de Telecomunicações